VOCÊ CONHECE O PATHWORK®? 

Pathwork® é uma metodologia de autoconhecimento. É um caminho para a autotransformação e autorrealização direcionado às pessoas que buscam um relacionamento mais verdadeiro consigo próprias e com a vida. Inclui uma compreensão profunda da negatividade pessoal para dissolver velhas crenças, condicionamentos e imagens errôneas. A proposta incentiva a parar de tentar fingir que somos uma imagem idealizada de nós mesmos, a pessoa que pensamos que deveríamos ser. Trata-se de um modo prático, honesto e racional de passarmos de onde estamos para onde queremos estar. Para o Pathwork®, espiritualidade é autoconhecimento.

FUNDAMENTOS DO PATHWORK®

Ao iniciarmos o Caminho do Pathwork® para nos conhecermos profundamente e termos intimidade conosco, é preciso se abrir a conceitos como Eu Máscara, Eu Inferior e Eu Superior.
 

A busca pela clareza e compreensão desses 3 Eus dentro de nós baliza todo nosso processo. Aos poucos vamos sabendo nomear cada um deles e, com o tempo e com a consciência alcançada, teremos escolha. Poderemos escolher com qual Eu vamos caminhar a vida e, portanto, criar nossa realidade.
 

Reconhecemos que espiritualidade, para o Pathwork®, é autoconhecimento. Não há como realizar-se espiritualmente sem se conhecer. E maturidade espiritual só acontece a partir da maturidade emocional. 
 

Às vezes sabemos somente de relance (porque não reunimos coragem suficiente ainda para encarar que nossa compreensão intelectual é muito mais ampla do que nossa compreensão emocional. Em termos de sentimentos comumente nos comportamos como uma criança, e em seguida racionalizamos e nos distanciamos dessa verdade, justificando nossa razão.

Fazer Pathwork® é criar condições internas de saber onde estamos e assim poder crescer. Saímos de nossa posição de idealização: não, não é a realidade que somos maduros o suficiente para criarmos uma vida com abundância e plenitude.

Iniciar os estudos em Pathwork® é, finalmente, ajustar nosso GPS interno: onde estou, onde quero chegar, e a ligação traçada entre ambos os pontos que é feito com o trabalho do caminho!

O EU MÁSCARA, EU SUPERIOR E EU INFEIROR

EU SUPERIOR: Todos os seres humanos têm, dentro de si . Assim, ninguém pode encontrar fora de si o amor, a luz e a paz que se busca. Já está em nós.
 

No entanto, é como um tesouro soterrado em erro, confusão, negatividade de todo tipo. Passamos muito tempo com olhar de busca na direção errada, procurando em relações, em pessoas, m cursos, em religiões, em trabalhos e remuneração, o que reside no Centro de nosso Ser.
 

E esse caminho de autodescoberta inicia com a aceitação desses 3 Eus que há em nós.


Eu Superior possui Amor, Poder e Serenidade, que inclui a sabedoria profunda de compreender todas as coisas e sentir paz através dessa compreensão. E, apesar de termos isso em nós, não acessamos ainda. Assim começa nossa história com nossas máscaras.
 

MÁSCARA é uma tentativa de construir uma “proteção" para lidar com a vida. Para nós, crianças, a vida era um mistério muitas vezes aterrorizante. Passamos pelas dificuldades inevitáveis da vida e, afinal, nesse mundo onde não há perfeição, nenhum de nós tivemos pais perfeitos.
 

Então ainda pequenos nos deparamos com desafios, e cada um de nós escolheu uma estratégia para isso.

MÁSCARA DO AMOR (ou submissão): Alguns sentiram medo e criaram para si uma máscara do amor: aparentemente sou amoroso o tempo todo, agrado a todos, nunca digo não, não sinto raiva, todos me têm na mais alta conta. 

 

E seguimos vida afora assim, nessa estratégia, até a idade adulta. Precisamos do outro, agradamos o outro, usamos certa sedução para conseguirmos nosso objetivo: estarmos seguros nas relações porque todos gostam de mim.


MÁSCARA DO PODER (ou agressividade): Outras pessoas se sentiram abandonadas, sem apoio, mesmo com os adultos ali sentiram que não podiam contar com eles. E precisaram endurecer e dar conta de tudo, de todos, sentem que se não fazem, ninguém fará. Então se especializam em lidar com as demandas que chegam, como numa eterna gincana.


Essas pessoas se “protegeram" pela autoafirmação agressiva de si mesmo, e até já se esqueceram que um dia foram uma criança vulnerável que só queria receber apoio. Estas usam a máscara do poder, e na aparência parecem sempre poderosas. 
 

MÁSCARA DA SERENIDADE (ou retirada): Outras crianças, tão sensíveis, sentiram que se afogariam nos próprios sentimentos, que lhe pareciam uma tempestade perigosa e confusa. Sentir é demais para essas crianças, e a “proteção" encontrada foi se separar dos próprios sentimentos.
 

Essas pessoas, quando adultas, até já se esqueceram que originalmente são assim, tão sensíveis. Se tornaram adultos racionais, impenetráveis em sua intimidade, confusos mentalmente quando lidam com emoções, e chegam, às vezes, a ser até espirituais. Podem querer meditar horas, nunca mais sentir raiva e costumam se sentir acima das outras pessoas. Usam a máscara da serenidade, e parecem sempre serenos.
 

É mais objetivo chamarmos a máscara do amor de submissão, a máscara do poder de agressividade e a máscara da serenidade de retirada emocional. Afinal essas palavras descrevem melhor o que acontece por debaixo da aparências desse Eu Idealizado.
 

E iniciar o Pathwork é enxergar o Eu Máscara dentro de mim atuando e, com o trabalho do caminho, escolher sair. Para o Pathwork, estar no Eu Inferior (nossa negatividade) é superior a estar no Eu Máscara, porque isso é mais verdade, tem energia vital. A máscara não tem energia vital.
 

Então, para o Pathwork o mal não é o mal (Eu Inferior). O mal é a máscara (defesa dos próprios sentimentos).

Conhecer o próprio Eu Inferior é aprender a atravessar, abrir mão de agir por ele e escolher atuar no mundo pelo Eu Superior. Com paciência e aceitação.

 

 

CRIANÇA FERIDA

 

Tanto se fala de criança ferida. O que é criança ferida? Você tem uma criança ferida? Do que se trata curar a criança ferida?

 

Quando iniciamos nossa vida, ainda no ventre de nossa mãe, quantas coisas sentimos com ela! Nosso coração estava batendo junto com o dela. Nascemos, nossa primeira vitória na vida!

Nascemos e estamos prontos a receber todo amor perfeito de mamãe e de papai. Mas quem teve pais perfeitos? Era um homem e uma mulher, como todos, com confusões, defesas, enganos, e também acertos. Estavam caminhando, crescendo, aprendendo.

Mas uma criança precisa receber muito. É muita demanda. São muitas as necessidades infantis: receber cuidados, nutrição, proteção, ser reconhecida em suas peculiaridades, viver num clima de harmonia, ser vista, ouvida e considerada.

Ao longo de nossa infância deixamos de receber e ficou ali um vazio que dói, uma necessidade não atendida, um desejo de preencher esse vazio. E crescemos, nos tornamos adultos e chegamos até a romper com as memórias, com as dores. Esquecemos, nos desconectamos. Em nossos vazios chegamos a tentar preencher com pessoas, relacionamentos, filhos, comida, sexo, álcool, mas dificilmente compreendemos que é disso que se trata: de procurar preencher e parar de sentir a dor infantil inconsciente.
 

O caminho do Pathwork® nos convida a olhar para isso de frente com coragem e honestidade. E acolher a experiência como foi, e poder sentir aquela dor que ali está soterrada há tanto tempo esperando ser vista, ser ouvida, ser considerada. Ser amada!
 

Outra forma de descrevermos o termo ‘criança ferida’ é que temos um conjunto de sentimentos e experiências não experimentados, não conscientes. Aceitar e vivenciar o que já está dentro de nós é a cura que buscamos, que resulta no amadurecimento emocional que torna a vida mais feliz e plena.

EVA PIERRAKOS

Esta metodologia está embasada no trabalho organizado por Eva Broch Pierrakos, uma austríaca que viveu nos EUA, e que, por mais de 20 anos canalizou 258 palestras de autoconhecimento de um guia espiritual, entre 1955 e 1979, quando ela morreu.

Tais palestras tratam de todo tipo de assunto relevante para a autotransformação e nos permite ter uma compreensão profunda de nossa negatividade para que possamos dissolver velhas crenças, imagens distorcidas e padrões destrutivos e, assim, sustentar uma vida mais plena e com sentido.

Em 1971, casou-se com o psicanalista John Pierrakos, aluno de Reich e co-fundador da Bioenergética ao lado de Alexander Lowen. Quando conheceu Eva, a partir do Pathwork e da Bioenergética, John criou o Core Energetics,  psicoterapia corporal.

GRUPO DE ESTUDOS

Os grupos de estudos acontece semanalmente com duração de duas horas. O material de estudo consiste em 258 palestras que tratam de processos de autorresponsabilidade e consciência. O conteúdo de estudo é disponibilizado aos alunos antes das sessões para que todos possam identificar suas dúvidas e questões. Nos grupos é possível obter uma compreensão mais profunda dos princípios delineados na palestra, por meio de explicações teóricas, da aplicação do conteúdo à vida de cada um, além de exercícios e meditações.

Consulte horários de grupos de estudo e valores pelo email: 

sabersistemico@gmail.com

 

Saiba Mais Aqui!

Essa terapia acontece nos formatos:

ICONES3.png
ICONES5.png
ICONES4.png

INDIVIDUAL                              GRUPO                              ONLINE                           CONSULTÓRIO

ICONE2.png
s_rdp.jpg

POR DENTRO DA  AGENDA

CONTATO

+55 (19) 992604811